A mácula é um ponto no centro da retina, responsável pela visão central usado para a leitura e para outras tarefas refinadas. A degeneração macular causa dano ou falência dessa região. Impede ou dificulta a leitura e os trabalhos feitos de perto sem, contudo, causar cegueira total. Se a visão periférica não estiver comprometida por outros problemas, é possível ver os objetos que ficam ao lado da mancha provocada pela degeneração macular.


Pode ser detectada e diagnosticada precocemente por um oftalmologista, através de exames oculares periódicos. O imediato encaminhamento a um especialista em doenças da retina pode prevenir danos adicionais através de tratamento específico e pode levar o paciente a encontrar um ajuste visual com óculos especiais.

Quem está sujeito à Degeneração Macular e quais as formas?

DMRI seca

A Degeneração Macular Relacionada à Idade (DMRI) está associada ao envelhecimento e é causada por uma atrofia ou afinamento das células visuais da mácula. Aparece com freqüência em idosos de pele clara e que apresentam na maioria das vezes, pequenos pigmentos no dorso das mãos. Entretanto, nem sempre o envelhecimento leva à perda da visão central.

As manifestações mais importantes da doença são as drusas ou pequenas manchas amareladas, que significam acúmulo de produtos resultantes da oxidação celular.

A DMRI pode se apresentar de forma atrófica (seca) ou exsudativa (úmida). A forma seca (figura) é chamada de degeneração involucional e representa 90% dos casos. Os outros 10% de casos de degeneração macular são formas exsudativas.
Existem tipos de degeneração macular que são herdados. Podem ocorrer em pacientes adolescentes e não estão associados com o processo de envelhecimento. Ocasionalmente, a alta miopia, o trauma, processos infecciosos, inflamação e outros agentes, podem também lesar o tecido delicado da mácula e/ou causar neovaso.

Tratamento clínico e a laser para Degeneração Macular

O uso de suplementos alimentares constituídos de minerais e vitaminas antioxidantes (A, E, C, zinco, betacaroteno, selênio) pode impedir a progressão da doença em pacientes com muitas drusas nos dois olhos ou forma avançada (cicatricial) em um olho.
Nos estágios iniciais da forma exsudativa ou com neovasos, a cirurgia oftalmológica por intermédio do laser pode retardar ou “controlar” as suas consequências. Assim, após o tratamento, o retinólogo pode planejar o regime mais adequado a cada caso.