Amebas de vida livre do gênero Acanthamoeba têm se destacado mundialmente na oftalmologia, devido aos índices crescentes de incidência e de morbidade ocular, relacionados à infecção corneana. A doença acomete indivíduos sadios, jovens e em alta produtividade econômica e que são usuários de lentes de contato (LC).

Entre essas LC destacam-se as gelatinosas, principalmente quando há exposição a águas possivelmente contaminadas (exemplo: piscina, mar, banheira e soro fisiológico) e quando não há cumprimento das recomendações de cuidados e uso dessas lentes. Casos não relacionados ao uso de LC têm sido relatados na literatura e estão geralmente ligados a traumas com materiais vegetais, insetos, entre outros. A ceratite causada pela Acanthamoeba pode, secundariamente, envolver a esclera, a íris, o cristalino e a retina, comprometendo progressivamente a acuidade visual. Em situações de maior severidade ou quando a doença é diagnosticada tardiamente, podecausar a perda definitiva da visão.

Classificação da Ceratite por Acanthamoeba

A ceratite pode ser classificada em precoce e tardia, dependendo principalmente do tempo de início dos sintomas (menos de 1 mês é precoce, mais do que 1 mês, tardia) e em leve, moderada e severa, dependendo dos sinais encontrados.
Fatores de risco da Ceratite por Acanthamoeba
Procedimentos inadequados de uso e manutenção de LC e, principalmente, exposição das mesmas a águas possivelmente contaminadas (p. ex., piscina, sauna, mar, banheira, chuveiro e soro fisiológico) e, também, quando não há cumprimento das recomendações de cuidados e uso dessas lentes, tais como: dormir ou faltar com a periodicidade na trocadas lentes de contato, conforme determinado pelo fornecedor; realizar a manutenção com produtos inadequados (vencidos ou reutilizados); ou uso de soro fisiológico aberto por período prolongado que permita a contaminação pelo parasita. Nos casos de não uso de LC, o trauma com material vegetal ou orgânico (insetos) é o fator de risco mais importante.

Sinais e sintomas da Ceratite por Acanthamoeba

Os sintomas na fase inicial são bastante inespecíficos e, geralmente, incluem intolerância ao uso de LC traduzidos por incômodo na forma de sensação de corpo estranho ou ardor; o paciente também pode referir lacrimejamento, fotofobia e embaçamento visual. Em 50% dos casos pode ocorrer dor severa, desproporcional aos achados clínicos. Esses sintomas podem apresentar períodos de melhora e piora durante o curso da doença, que tende a ser crônico. Os achados clínicos são de edema palpebral e blefaroespasmo; na biomicroscopia podemos observar: 1 inflamação perilimbar e/ou hiperemia ocular generalizada, 2 alterações epiteliais na forma de linhas (pseudodendritos), 3 epitélio corneano íntegro ou ulcerado nas mais variadas formas, 4 ceratoneurite (considerada por alguns como patognomônica no usuário de LC, 5 infiltração estromal de várias intensidades e localizações, mais caracteristicamente na forma de anel (bastante sugestiva, mas não patognomônica), 6 neovascularização corneana, 7 afinamento corneano, 8 reação de câmara anterior ou até mesmo hipópio, esclerites, entre outros. Em casos mais avançados podemos observar a formação de midríase paralítica, com ou sem ectrópio uveal, atrofia de íris com acúmulo de pigmentos na face posterior da córnea, catarata e glaucoma. Diminuição da sensibilidade corneana pode estar presente.

Diagnóstico diferencial da Ceratite por Acanthamoeba

O principal diagnóstico diferencial nas fases iniciais é com o herpes epitelial, principalmente quando há observação do pseudodendrito e diminuição da sensibilidade corneana. Na fase estromal da infecção pode ser confundida com herpes estromal necrosante ou úlcera fúngica, devido à evolução lenta. Outro diagnóstico diferencial importante é a úlcera por uso abusivo de colírio anestésico. O diagnósticode Acanthamoeba spp deve ser afastado em todo paciente usuário de LC com ceratite a esclarecer ou com quadro clínico de “herpes” que não responde ao tratamento. Sempre devemos pensar na hipótese diagnóstica de Acanthamoeba e indicar a colheita de material para análise laboratorial em usuários de LC com sintomas e sinais atípicos e crônicos.