Alergia e sensibilidade: qual a diferença e o que causa irritação à pele?

Os sintomas são parecidos e, muitas vezes, confundem quem sofre com a patologia. Especialistas explicam a diferença.

“Não uso rímel porque faz lacrimejar meus olhos”, “não passo base porque deixa meu rosto vermelho”… Algumas dessas reclamações são mais comuns do que se imagina e pode atingir grande parte das mulheres que têm o costume de se maquiar constantemente. Mas, afinal, como diferenciar o que é alergia, o que é irritação e sensibilidade?

Para a dermatologista Sayuri Yuge, da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), é possível identificar essas patologias a partir das causas e dos sintomas que são desencadeados, como vermelhidão na pele, coceira ou ardência.

Sensibilidade

De acordo com a especialista, essa é uma condição da pele em que a pessoa é intolerante ou mais reativa a determinados cosméticos, cremes ou até mesmo ao calor. “A sensibilidade da pele não é causada apenas pela alergia. A rosácea, por exemplo, é uma doença que causa esse tipo de reação, mas não é uma condição alérgica”, explica.

O mesmo se aplica aos pacientes com psoríase, que também têm a pele mais sensível, mas a condição não se apresenta como um quadro alérgico. “A sensibilidade é um termo geral para quem tem a pele um pouco mais intolerante”, ressalta Sayuri.

Alergia

A dermatologista explica que a alergia se caracteriza por um fenômeno imunológico. “Por exemplo, eu entro em contato com uma substância, essa substância ativa o meu sistema imunológico e ele manda células de defesa que causam aquele quadro de irritação”, explica.

A alergia também pode ser desenvolvida a partir de problemas que, geralmente, são genéticos ou questões individuais. “Elas têm uma característica de exposição. Ou seja, uma pessoa que nunca entrou em contato com esmalte, ou nunca usou na vida, pode ter alergia a esse produto. Ao contrário de quem usa frequentemente, esses são os maiores candidatos”.

Resumindo, a irritação é o nome dado ao quadro químico, uma condição de momento em que a pele fica vermelha, coçando, descamando ou, muitas vezes, com um pouco de secreção.

Sayuri ainda conta que a área mais afetada por essas condições é o rosto: “Tudo que está na mão, vai na face”, brinca a especialista. Ela também explica que é supercomum que produtos não frequentes afetem a região e, principalmente, os olhos.

Irritação e alergia nos olhos

Além de ser a maior vítima das coceiras, ele é o principal foco nas maquiagens. As opções para a área contam com cola, rímel, lápis, base, sombra… Uma bomba de produtos químicos e cosméticos que, facilmente, podem irritar uma das regiões mais sensíveis do corpo humano.

Para evitar que os olhos estraguem a make, a oftalmologista do Hospital de Olhos Juliana Lasneaux recomenda buscar por produtos hipoalergênicos e testados por profissionais. Além disso, a especialista para a atenção do paciente em observar o que desencadeia sua reação alérgica e alerta: “Maquiagem, esmalte e xampus são os maiores vilões da alergia ocular”, explica.

“Se você sabe que esse produto te causa alergia, não use”, pontua. Por fim, a dica é evitar coçar a área com frequência. A atitude pode machucar a córnea e até deformá-la. Caso as coceiras persistam e sintomas como inchaço, sensação da língua grossa e falta de ar apareçam, busque um pronto socorro de imediato.

Fonte: Metrópoles