Conselho Consultivo do Paciente traz contribuições para o trabalho do CBV

As reuniões do Conselho Consultivo do Paciente do CBV em 2021 trouxeram importantes contribuições para o trabalho do hospital. Com grande expectativa, a primeira reunião, realizada em maio, recebeu os conselheiros que apresentaram apontamentos de melhoria bastante pertinentes. As oportunidades de melhorias foram analisadas e implementadas. Uma das melhorias implantada foi a parceria com psicólogos para apoio ao paciente no momento do diagnóstico médico e em sua jornada de tratamento.

Na segunda reunião, que aconteceu em novembro, o Conselho trouxe colaborações com bastante relevância não somente para o CBV, mas para toda a comunidade. Um dos temas foi o desafio do atendimento de pacientes com deficiências ocultas, que já estava sendo trabalhado pela Squad do Paciente, e foi abordado e fortalecido pela experiência de conselheiras com o Transtorno do Espectro Autista (TEA) e com cegueira legal causada pela retinose pigmentar. Em ambas deficiências, dependendo do seu nível, não é possível identificar.

O autismo — ou Transtorno do Espectro Autista, como é tecnicamente chamado — é uma condição de saúde caracterizada por prejuízos em três importantes áreas do desenvolvimento humano: habilidades socioemocionais, atenção compartilhada e linguagem.

A retinite pigmentosa ou retinose pigmentar é uma doença degenerativa da retina que causa perda de visão progressiva, podendo conduzir à cegueira. Trata-se de uma doença dos olhos evolutiva. O trabalho do CBV será intensificado com palestras, implantação de sinalização adequada e, até mesmo, a entrega do colar girassol, instrumento para identificação de pessoas com deficiências. Saiba mais sobre a Lei 6.842/2021, que instituiu o colar de girassol como instrumento para identificação de pessoas com deficiências ocultas no Distrito Federal. O objetivo é garantir atendimentos adequados às pessoas com deficiência sem necessidade de explicações e justificativas, evitando possíveis constrangimentos.

Sobre o Conselho Consultivo do Paciente

O Conselho Consultivo do Paciente é uma entidade consultiva de participação voluntária e sem fim lucrativo, que possui o objetivo de construir uma cultura dentro do CBV – Hospital de Olhos baseada na comunicação ativa e compartilhamento de ideias e vivências entre pacientes/familiares/acompanhantes, colaboradores e membros da liderança institucional, tornando possível o cuidado centrado na pessoa de forma a atender as necessidades e expectativas de pacientes e familiares somadas à qualidade técnica e segurança.

O Conselho do Paciente faz parte do atendimento humanizado, individualizado e encantador promovido pelo CBV aos seus clientes.

O Conselho do Paciente preza por utilizar as vivências e experiências dos pacientes como apoio nas tomadas de decisões institucionais, além de garantir educação e suporte aos pacientes, estimulando-os a participarem do seu próprio cuidado; construir uma cultura organizacional de aprendizagem contínua e centrada na pessoa, orientada pela voz dos clientes; e promover a comunicação ativa entre pacientes, familiares, colaboradores e membros da liderança por meio do compartilhamento de ideias e de experiências que possibilitem a implementação de melhorias para encantar as pessoas.

Compete ao Conselho do Paciente estabelecer um elo entre pacientes/familiares/acompanhantes, colaboradores e liderança que proporcione melhorias dos serviços, estruturas e processos do hospital; utilizar as vivências e experiências dos pacientes para identificar os pontos fortes e oportunidades de melhorias que irão apoiar a Squad do Paciente nas decisões e estratégias institucionais; e desenvolver ações que fortaleçam a cultura do cuidado centrado no indivíduo.