Influencer arranca pedaço da córnea com alongamento de unhas

A influenciadora digital Jéssica Cardoso, de 30 anos, utilizou os stories do instagram para compartilhar com os seguidores que arrancou um pedaço da córnea do olho direito após coçar os olhos.

A maquiadora havia feito um alongamento de unhas.

“Fui coçar o olho e o movimento da minha mão foi mais rápido do que eu fechar o olho direito. Na hora em que eu passei, eu me movimentei e a unha rasgou o meu olho e arrancou uma lasca da córnea”, contou a influencer.

Jéssica procurou o atendimento médico e os exames confirmaram que a córnea havia sido lesionada. “Foi a pior noite da minha vida, porque eu não conseguia abrir nenhum dos dois olhos”, revelou. Ela disse ainda que só sentiu alívio após ser mediciada.

Acidente comum

A médica oftalmologista do Hospital de Olhos (CBV) Caroline Lima afirma que, dentre os casos mais comuns atendidos na urgência oftalmológica, estão as abrasões da córnea, muitas das vezes ocasionadas por traumas mecânicos, como o comentado no vídeo, ou devido a acidentes envolvendo corpo estranhos.

“Por ser uma estrutura com muitas terminações nervosas, a sensação de dor e desconforto é extrema. Embaçamento visual transitório, inchaço, lacrimejamento e vermelhidão também costumam estar associados”, explica Lima.

Ainda segundo a médica, traumas com unhas são mais comuns logo após cortá-las, ou pelo fragmento retirado atingir o olho, ou devido ao fato de a unha ficar “mais afiada” logo após o corte. “Esse tipo de trauma também é muito comum com pais ao cortarem as unhas dos filhos.”

Como agir em casos assim?

Em casos de acidentes como o da influenciadora o ideal é que o paciente procure atendimento médico oftalmológico de urgência para avaliação do caso.

O tratamento depende do nível da lesão e pode envolver uso de colírios antibióticos, anti-inflamatórios e lubrificantes, além de pomadas oftálmicas. Em alguns casos, é preciso realizar oclusão com curativo, como Jéssica Cardoso fez. O profissional também pode recomendar o uso de lentes de contato terapêuticas.

Fonte: http://noticias.cennoticias.com/26798449?origin=list&n=10&pageId=462ec2b3-735c-45b1-bb9a-57a226608753&PageIndex=6&m=10&u=wap_71b99d313f7d851ef8eba105754bc9dd